segunda-feira, 26 de abril de 2010

Folclore da Ilha de Florianopolis, Pintura do Boi de Mamão

Minhas pinturas não ficam somente no devaneio de minha imaginação, o que vivencio também registro em pinturas ou em desenhos.

No grupo de Boi de Mamão de Canavieiras, Grupo Boi de Cá, eu brinco no boneco do Boi, na Maricota na Bernuncia, e por isso já produzi vários desenhos, gravuras, pinturas e fotografias sobre o tema, o folclore esta presente na minha vida.

Olha a volta que ele deu, Olha a volta que ele dá...

Pintura em tinta aclílica sobre papel, 1,00m x 80cm

Nessa pintura que apresento, com cores fortes e pinceladas rápidas o momento em que o vaqueiro tourea o boi, no exato momento em que o boi vai dar um giro(detalhe nos pés do miolo do boi), “olha a volta que ele deu, olha a volta que ele da” canta alto o puxador do boi.

Na figura humana faltou um pouco mais de trabalho, mas como se tratava de uma pintura rápida, não me atentei tanto aos detalhes e sim as cores ao movimento e as pinceladas. No chão as cores e as pinceladas deram o efeito esperado, já no tecido do boi faltou um pouco mais de movimento no pano.

Por se tratar de um tema que eu gosto, provavelmente haverá outros trabalhos no blog, como: "O Boi de Mamão no Mercado Público", já publicado no ano passado. (ver postagens anteriores).

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Brincando com a Morte- Deni - pintura Surralismo

Pinturas do Deni

Esse trabalho trata-se de uma pintura feita como estudo para a faculdade de artes visuais, o material empregado: tinta acrílica sobre papel mede 1,00m x 0,80cm.

Com formas distorcidas essa obra trabalha o grotesco, o bizarro, desenhos de minha infância já traziam personagens como o da esquerda com seu imenso nariz que tem que ser apoiado por uma das mãos:


No outro lado orelhudo todo torto também surge dos meus desenho de criança:


Ao fundo da tela, traços pesados e carregados para dar uma certa noção de profundidade, o piso quadriculado característico de pinturas surrealistas termina bruscamente deixando o personagem principal isolado na frente, esse personagem joga malabares com caveiras simbolizando uma brincadeira com a morte donde surgiu o nome da obra “ brincando com a morte” seu sorriso irônico e sua boca enorme seguem o padrão do grotesco que mencionei no inicio do texto.

Cores contrastantes e uma leveza nos movimentos contrapondo com pinceladas pesadas completam a peculiaridade desta obra.