quarta-feira, 30 de junho de 2010

Manifesto contra a invação dos policiais a UDESC




Manifesto

Problemas com transporte coletivo, muitas cidades também possuem, não é luxo de Florianópolis o monopólio desse tipo de atividade comercial, isso afeta a classe usuária do transporte coletivo, afinal de contas venhamos e convenhamos, três reais é uma dúzia de ovos, um kg de feijão e kg de farinha de mandioca, da para comprar um litro de óleo e sobra troco, agora o absurdo é sair para trabalhar ir e voltar e ter que gastar seis reais todos os dias, alguma coisa esta errada, mas também não me surpreende que em um pais onde alguém que “desvia” o dinheiro público, não vai para a cadeia, mas policiais agridem, torturam os estudantes com choques e murros, e esta tudo bem? Prender um estudante que somente esta indignado com o poder público que entregou o transporte coletivo nas mãos de empresas privadas que só visam o lucro, cabe ao poder público ver o bem estar da população, afinal de contas eu achava que era para isso que pagávamos impostos.(só uma intromissão nesse assunto, não é só no transporte em todas as áreas de nosso sistema administrativo, os projetos administrativos existem, mais param nas mão gananciosas de políticos inescrupulosos, ex: paga-se imposto para comprar um carro, IPVA, emplacamento, seguro obrigatória, tudo certo,pagamos para podermos rodar em boas estradas, bem sinalizadas e policiadas, deveria ser assim, mais falta dinheiro, e o governo privatiza as estradas e o pobre cidadão paga novamente).

Acho que dizer que estamos vivendo uma nova ditadura é pouco, a ditadura era carregada de ideais políticos, hoje o ideal é financeiro, e social, consigo comparar perfeitamente com a era medieval, soldados flagelando o povo para defender uma corte que só pensa em seus interesses pessoais, carregados de corrupção, infectados com uma doença chamada ganância, creio que se misturar os dois sistemas de repressão, conseguimos chegar a uma resolução em comum. Exagero? Então pergunte a um político o que ele acha da cena de policiais agredindo estudantes nas ruas e dentro da universidade, pergunte a RBS que não divulgou o vídeo, pergunte ao policial o que ele pensava em quanto agredia e dava choques em universitários que tem família e que esta em busca de um conhecimento maior, pergunte ao estudante que levou um choque daqueles, o que ele sentiu. Agora ligando todos esses pensamentos, reflita...

video

Veja Tambem o video: http://www.youtube.com/watch?v=qHfcC8dP2mI

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Exposição de Arte Postal


Exposição QUIMERA - Arte Postal
Press-release
A exposição Quimera reúne trabalhos de arte postal que exploram a temática de sonho, abordando o tema de forma diversa, considerando tanto os sonhos que se sonham dormindo, quanto devaneios, objetivos utópicos, sonhos de vida e aspirações pessoais. O material foi reunido através de resposta dos participantes a uma convocatória aberta lançada primeiramente em 2009 e novamente em 2010, organizada por Silvana Macêdo. Portanto esta exposição mostrará trabalhos das duas edições do Projeto Quimera: Arte Postal.
Em meio a esses trabalhos encontra-se um trabalho meu, que denominei “Sonho ou pesadelo... ...qual tu queres”:

Visite o Museu Hassis e prestigie essa exposição.
Na década de 1960, correspondências trocadas entre artistas plásticos deram origem a mais uma forma de expressão da arte contemporânea: a arte postal (mail art). Nessa mesma época, Ray Johnson cria, em Nova York, nos Estados Unidos, a Correspondance Art School.
A mail art consistia em trocar mensagens criativas utilizando o sistema de correios. Ela surgiu como uma alternativa aos meios convencionais das exposições de arte (Bienais, Salões, etc.) e tem características próprias do período em que apareceu (dialoga, portanto, com a Guerra Fria, no contexto mundial, ou com a ditadura militar, no contexto brasileiro). Ou seja, seu objetivo era veicular informação, protesto e denúncia.A arte postal se caracteriza por ser um meio de expressão livre, no qual envelopes, telegramas, selos ou carimbos postais são alguns dos suportes em que é possível a expressão da sensibilidade. Os artistas utilizam, principalmente, técnicas como colagens, fotografia, escrita ou pintura. A única limitação real à utilização de diferentes técnicas e suportes é a possibilidade de envio dos trabalhos pelo correio.
Fonte (Valéria Peixoto de Alencar. Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação)